DAMN - Primeiras impressões

DAMN, o novo álbum de vossa excelência Kendrick Lamar, saiu esta sexta-feira e obviamente os "hardcore fans" já estavam com dificuldade de controlar a ansiedade mesmo considerando que o anúncio do lançamento aconteceu pouco depois da enigmática revelação do tema "The Heart pt.4" seguido do impactante "Humble" há pouco mais de uma semana.
A minha ansiedade relativamente a esses assuntos sempre foi muito controlada, principalmente agora com as plataformas de streaming a disponibilizarem os conteúdos com uma agilidade impressionante.

Tal como em outros lançamentos por mim aguardados, recordo-me do último disco de J.Cole por exemplo, onde aproveitei a minha corrida matinal para começar o dia com a mais recente batida. Felizmente, o caso de DAMN é mais um que nos deixa animados logo nas primeiras horas da manhã.
Os interlúdios, a produção, a tracklist, o conceito subjacente à mesma e a interpretações que daí têm surgido são algo incontornável e incansavelmente discutido pelas redes sociais,

Mas foquemos na música em si e no conteúdo do disco.
Primeira impressão: DAMN  dá uma sequência ao trabalho escutado em TPAB. Não há um rompimento ou algo que demonstre K-DOT a tentar outros caminhos, mas sim uma consolidação. Recordo-me, de estar a sair de casa e a minha cabeça estar a assimilar, com muita naturalidade, DAMN como sendo um disco de autor, isto é, um disco com impressão digital que somente poderia ser feito pelo Kendrick Lamar. Critica social, questões raciais, política, religião continuam misturadas e combinadas subliminarmente como só ele sabe fazer.

No dia do lançamento, acho que ouvi o disco em loop cerca de 6 vezes e a cada audição um novo detalhe, uma nova faixa favorita, uma dica que tinha passado. Sou um confesso apreciador dos temas "FEEL" e "LUST", este  último tem uma variação da batida a meio que deixa qualquer um agitado.
E também tenho de destacar  a sequência dos últimos 4 temas XXX, FEAR, GOD e DUCKWORTH com destaque para o tema mais longo "FEAR" pelo storytelling, drama e peso  das palavras e ainda para a belíssima produção de 9th wonder no tema de encerramento DUCKWORTH.

Observar a tracklist constituída por um conjunto de termos soltos mas com significados muito particulares, deixa-nos a pensar se tem ali alguma mensagem oculta. O que nos deixa mais intrigados e incapazes de ignorar a especulação.

Rumores indicam ainda possibilidade de este ser apenas uma primeira parte e que, eventualmente, o dia de Páscoa trará segunda dose ou uma "ressurreição".

TEORIAS!

Sendo verdade ou apenas rumor, DAMN já conquistou a minha atenção pelas próximas semanas e mesmo parecendo difícil elevar ainda mais a fasquia, estamos a falar de Kendrick Lamar.

Comentários