Emicida (17/1/2013) @ SESC Pinheiros, São Paulo



Quinta-feira, 17 de Janeiro, mais um espetáculo preparava-se para começar no Teatro Paulo Autran.

Plateia muito bem composta. Velhos e novos, pais e filhos, casais ou simples fãs de rap. Confesso logo aqui ter ficado surpreendido com o tipo de público que o show de Emicida tinha levado para as cadeiras daquele teatro. Estavam lá os mais aficionados também, bonés de pala recta e t-shirts com inscrições a " A rua é noiz" mas para quem está habituado a estas andanças não é usual este tipo de plateia tão multifacetada. Para não referir o facto de o show se ter iniciado, apenas, 15 minutos após o previsto. Algo que em Portugal seria altamente improvável, não porque os concertos tenham atrasos mas pela hora tardia a que se iniciam.


O cartaz era interessante, não só pelo próprio Emicida, mas pela apresentação inédita do tema que este tem com o mestre Wilson da Neves, " Ô sorte". Pelo meio ainda a bela presença e voz de Aline Calixto.


Vocês devem estar a pensar : "Concerto de rap num teatro com o pessoal todo sentado?" Sim, eu também pensei nisso como um desafio que o Emicida teria que superar.
Até as cortinas se levantarem estava intrigado. Mas por pouco tempo, porque mal iniciou o show deu para perceber que o mc sabia ao que vinha, tal como a banda de apoio ( teclado, baixo, bateria, saxofone, trompete, etc ) e ainda duas vozes de luxo como a de Fioti e Rael da Rima.


O show começou vibrante, total adesão do público com várias músicas na ponta da língua. Os temas apresentados revezaram-se entre vários trabalhos do artista como" Pra quem já Mordeu um Cachorro por Comida, até que eu Cheguei Longe...", "Emicidio", " Sua mina ouve meu rep tamém" e ainda o último" Doozicabraba e a Revolução Silenciosa"

Para além disso também se puderam testemunhar prestações a solo da voz sensacional  de Rael da Rima e ainda da convidada especial Aline Calixto.

Óbvio que a presença da lenda viva "seu Wilson da Neves" foi aplaudida de pé.


Melhor, só quando o concerto supostamente terminou e o público exigiu mais.

Para além disso ainda houve espaço para promover a última mixtape de Dj Nyack ( dj da Tour de Emicida) disponibilizada gratuitamente aqui! E ficou-se a saber que o álbum de Emicida vai estourar ainda este ano.

Em suma, um óptimo espectáculo, a um horário decente, cerca de 1h40min de duração, lotado (1000 pessoas) e com os bilhetes mais caros a cerca de 9€. Que mais poderíamos pedir para um serão de 5ªfeira à noite?

Destaque especial para empatia entre o público e o artista e para a primeira vez que vejo uma apresentação dos integrantes da banda sob a forma de rima.

Resta-me deixar alguns vídeos e imagens para ilustrar melhor o que se passou nessa noite.

" A RUA É NOIZ"

Comentários