A tua cara não me é estranha.




Não. Não tecerei qualquer comentário acerca do que se passa nas noites de domingo da TVI. 

Mas imaginem o cenário " E se vocês se cruzassem com um dos vossos artistas favoritos antes de partir para uma nova aventura?" - "Só pode ser um bom presságio" foi o que pensei. 

E se vocês estivessem na fila do aeroporto para revista e de repente ao olhar para o lado deparam-se com o Aloe Blacc. 

Fiquei logo exaltado (interiormente) pela surpresa, em parte inesperada, mas por outra compreensível porque no dia anterior (24 de Abril) este tinha dado um show na Casa da Música. 

Outro pensamento me invadiu " Será que ninguém reconhece o homem?" 

Lá avancei na minha fila e ele na dele, embora o tenha perdido de vista após a revista. Andei para trás e para a frente na sala de embarque a ver onde parava a personagem e nem sinal. Por momentos desacreditei. Resignado dirigi-me à minha porta de embarque e sentei-me. 

Após colocar a mochila no banco do lado, apercebo-me que Aloe Blacc está mesmo ali a despedir-se de uma série de músicos com instrumentos às costas ( acredito que tenham partilhado o palco na noite anterior). Terminadas as despedidas, este ficou sozinho com o seu telemóvel e aí nem exitei. Um artista daqueles à solta no aeroporto e ninguém o abordar para, pelo menos, um autógrafo é quase um insulto. Senti-me no dever de ir representar Portugal naquele momento. 

Lá fui eu. Apresentei-me desde logo como grande fã e perguntei-lhe se me podia dar um autógrafo, pedido a que ele acedeu prontamente. Aí aproveitei para lhe perguntar como tinha corrido o concerto e referir que já sou fã dele desde os tempos de Emanon, ao que ele respondeu " wow, since the beginning so…". 

Também não perdi a chance de referir que acompanhava de perto a carreira do Exile e do Blu ( claro!!!). Ele demonstrou o maior respeito por ambos e ainda afirmou que anda a trabalhar em algo novo com Exile, o que vai de encontro com os rumores de um novo disco do Emanon. 

Entretanto a minha porta de embarque abriu e a nossa agradável e breve conversa ficou-se por ali. 

Sem dúvida, uma despedida da terra natal para mais tarde recordar e que seja um bom sinal para o que se avizinha. A ver vamos!!!

Comentários