SoundClash STK vs Mundo (MusicBox)+ Tributo a J.Dilla ( Arte&Manha)

Tal como indiquei num post anterior Soundclash STK vs Mundo (no MusicBox) pareceu-me à partida, algo imperdível. Apesar de saber do 2º Round em Março no Porto, devido à minha situação profissional, não seria certa a minha estadia em Portugal nessa data portanto… siga para sul. 

Viagem Porto-Lisboa
Tenho de confessar que foi um fim-de-semana com selo Hip-Hop. Viagem para Lisboa marcada pela leitura do suplemento semanal Ipsílon com grande destaque a MCK e o seu último disco, "Proibido ouvir isto". Para além disso, a edição contava com as reviews desse mesmo disco e ainda o mais recente de Common, "The dreamer/ The believer". 


Soundclash@Musicbox – STK vs Mundo
Á chegada ao local deu para perceber o interesse suscitado por este Soundclash. Casa cheia. 

Um show com um alinhamento marcado essencialmente pela nostalgia enquanto Mundo e STK se revezavam a tocar os clássicos do seu reportório. Não me refiro somente a temas da discografia a solo mas também a temas que estes produziram para outros discos. No caso de STK recordo-me de temas de NBC e Chullage, já o Mundo apresentou produções de Dealema ou até Terrorismo Sónico, entre outros. Tudo isto misturado com a boa reacção do público. 

A viagem não se limitou ao passado mas também descortinou um pouco do futuro porque foi possível escutar alguns exclusivos destes mestres da produção nacional. Posto isto, ainda houve disponibilidade para uma interessante jam session. 

Resumindo, a deslocação propositada valeu totalmente a pena e até me deixou a imaginar como será no Porto, num espaço mais amplo como o Hardclub. E, sinceramente, espero estar cá para testemunhá-lo porque foi aberto um precedente muito interessante para este tipo de eventos. 



Bónus - Tributo a J-Dilla (Arte&Manha)
E como o título indica, esta foi mesmo um bónus não programado embora bem-vindo. Como devem saber 10 de Fevereiro marca o aniversário de falecimento de J-Dilla e o no espaço Arte&Manha houve um tributo ao mestre. Logo, mal terminou o evento no MusicBox seguiu-se um corrupio de clássicos de Dilla, uns atrás dos outros. Bela forma de terminar a noite! 


Viagem Lisboa – Porto
Leitura de mais dois interessantes capítulos do livro de Common " One day it'll all make sense" onde este fala da transição do 3º para 4º disco (Like water 4 chocolate), o qual envolveu a sua mudança de Chicago para Nova Iorque e o trabalho desenvolvido com J-Dilla e outros Soulquarians. 

Tem sido uma leitura enriquecedora relativamente a Common enquanto artista mas acima de tudo como pessoa. 

Acompanhem Primouz no Facebook LIKE!

Comentários