Curiosidades...

Ontem numa passagem pontual pela FNAC reparei, ou voltei a reparar, porque isto já não é a primeira vez, que andavam bons discos de HipHop no meio da secção Soul/ Funk.

Sim, para os mais desconhecedores dá-se aquela mistura "MTV" óbvia do HipHop/ R'n'B e existem discos numa onda mais "good mood" que proporcionam essa confusão. Agora o "Pro Tools" do GZA não parece devidamente enquadrado. Para não falar do disco de Nach na linha da frente da secção de HH português.

Algo que me intriga, é o preço dos cd's. E não me refiro aos actuais, mas aos mais antigos. Porque motivo, álbuns com cerca de 15 anos ou mais, em alguns casos custam tanto ou mais que os mais recentes. Não estou a par da regulamentação de preços, se é que existe, mas pela lógica não deveria haver uma desvalorização (valor da música em si é outra questão e outro debate).

Outra coisa que não poderia deixar de referir é a maior oferta de livros de street art/ graffiti nas estantes. Categoricamente colocadas, dependendo da FNAC, na secção de Design ou Arte ou até emaranhados junto dos livros de Arquitectura. Bem prestigiante por sinal.

Comentários